Inscreva-se na Newsletter

Inscreva-se na nossa Newsletter e receba actualizações e notícias da CJP-CIRP no seu e-mail.




Contador de visitas

mod_vvisit_counterHoje56
mod_vvisit_counterOntem697
mod_vvisit_counterEsta semana2981
mod_vvisit_counterÚltima semana3029
mod_vvisit_counterEste mês8311
mod_vvisit_counterÚltimo mês10312
mod_vvisit_counterTotal438334

Visitantes Online: 6

Login

De novo Lampedusa Versão para impressão
Quinta, 08 Agosto 2013 11:10

30-7-2013

Um alerta para continuarmos despertos 

papanaufragioO Papa, que colocou os pobres no coração do seu ministério, visitou no dia 8 de Julho a ilha de Lampedusa, que serve de porto de abrigo a milhares de imigrantes. Pediu um "despertar das consciências" para combater a "globalização da indiferença". Notícias, como a que apresenta o Boletim da FAIS, continuam a alertar-nos para a necessidade de que esse gesto nos convida a atitudes que demonstrem a vontade de globalizar a consciência da fraternidade universal:


Foi mais um sonho que terminou em tragédia. No final da semana passada, trinta e um imigrantes africanos morreram afogados frente à costa da Líbia quando tentavam atravessar o Mediterrâneo para chegar a Itália.


lampedusa 1O bote transportava 53 imigrantes. Cerca de duas dezenas foram resgatadas por um navio mercante que passava na zona, mas nem todos tiveram essa sorte. Os sobreviventes, oriundos da Nigéria, Gâmbia, Benin e Senegal, foram conduzidos à ilha italiana de Lampedusa. Todos estiveram três dias no mar à espera de auxílio.


Recorde-se que no início do mês, o Papa Francisco escolheu precisamente Lampedusa para a primeira viagem apostólica do seu pontificado. Na ocasião, o Sumo Pontífice afirmou estar ali para “chorar os mortos” dos imigrantes do Médio Oriente e Norte de África, que sonham em chegar à Europa e que não sobrevivem à viagem pelo Mediterrâneo. Com esta visita, o Papa quis chamar a atenção do mundo pelos “mortos que ninguém chora”.


Departamento de Informação da Fundação AIS | Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript ativado para o visualizar