Preocupações dos imigrantes em audição pública Versão para impressão
Terça, 09 Junho 2009 22:46

As dificuldades dos migrantes em plena crise económica esteve em debate na audição pública organizada pelo Fórum de Organizações Católicas para a Imigração - FORCIM.


«Migrações: um olhar sobre a actualidade» trouxe à reflexão algumas "preocupações sentidas pelos imigrantes em Portugal, depois da aprovação da actual Lei da Imigração". No encontro foi feita uma referência particular ao Art.88º, que tem levantado dificuldades, nomeadamente àqueles que entraram regularmente em Portugal, mas que perderam o seu emprego, ficando numa situação difícil perante a Lei.

Conceito novo, actualmente em debate, é o da destituição de direitos, que levanta problemas muito graves aos que nunca tiveram ou perderam a situação regular.

Também o Plano para a Integração de Imigrantes foi objecto de uma apreciação, o que permitiu "compreender a complexidade das tarefas exigidas por uma integração plenamente conseguida". Esta integração é uma "componente essencial da coesão social da sociedade portuguesa, assumindo aí uma importância decisiva o valor a dar à interculturalidade".

A audição pública defende que a imigração obriga a "renovar o conceito de «nós», tendo em conta a multiplicidade de pertenças que vão surgir.

Há ainda um longo caminho a percorrer com vista a uma sociedade inclusiva, designadamente ao nível da participação cívica e política e da luta contra a discriminação e os estereótipos.

A audição debateu ainda algumas respostas dadas por vários serviços públicos às necessidades dos emigrantes portugueses e dos imigrantes em Portugal.

Foram debatidas questões relacionadas com a visibilidade dos imigrantes nas sociedades de acolhimento, o sentimento de pertença ou não à cidadania europeia, por parte dos emigrantes portugueses, a maior ou menor adequação dos serviços de fiscalização ao trabalho imigrante, a abordagem ainda incipiente da interculturalidade e as dificuldades em divulgar a informação.

fonte: Agência Ecclesia