Inscreva-se na Newsletter

Inscreva-se na nossa Newsletter e receba actualizações e notícias da CJP-CIRP no seu e-mail.




Contador de visitas

mod_vvisit_counterHoje266
mod_vvisit_counterOntem554
mod_vvisit_counterEsta semana2585
mod_vvisit_counterÚltima semana2631
mod_vvisit_counterEste mês6453
mod_vvisit_counterÚltimo mês9532
mod_vvisit_counterTotal601481

Visitantes Online: 10

Login

União Internacional das Superioras Gerais Versão para impressão
Terça, 23 Junho 2009 10:25

DECLARAÇÃO

das religiosas participantes ao CONGRESSO I e II

"Religiosas em Rede contra o Tráfico de Pessoas" organizado pela União Internacional das Superioras Gerais (UISG) e a Organização Internacional para as Migrações (OIM).

em Roma de 2 a 6 de Junho 2008 e 15-18 de Junho de 2009

Nós, as 47 participantes,  membros de 29 congregações religiosas, representantes das diferentes conferências nacionais e das redes nacionais, regionais e internacionais existentes contra o tráfico de mulheres e crianças em mais de 30 países, nos reunimos para compartilhar experiências, discutir, refletir e rezar sobre nossa missão contra o tráfico de pessoas.

Denunciamos  o Tráfico de pessoas e

declaramos que constitui um crime contra a dignidade humana

é uma grave violação dos Direitos Humanos.

Como religiosas, em solidaridade com nossas irmãs e irmãos que sofrem as consequências deste mal não podemos ficar calados.

Condenamos fortemente este crime.  Dirigimo-nos, sobretudo, aos Governos dos Países de origem, de trânsito e de destino onde as pessoas são comercializadas e convertidas en objetos desta moderna forma de escravidão. 

Fazemos apelo aos Governos para que assumam sua responsabilidade não somente criando leis que condenem o tráfico e os traficantes, mas sobretudo aplicá-las em todos os níveis tornando efetiva a defesa   e a proteção das vítimas e destinando os recursos necessários para combater este crime. É sua responsabilidade ativar redes nacionais e internacionais capazes de combater eficazmente este mal e  eliminar as causas estruturais que geram o tráfico de pessoas.

Convocamos as Conferências Episcopais, Conferências nacionais dos Religiosos e Religiosas as comunidades católicas e não catolicas, a tomar posição e empenhar-se com renovada energia na defesa dos direitos humanos desses irmãos e irmãs nossos e a denunciar toda forma de tráfico.

COMPROMETEMO-NOS a

  • trabalhar em rede entre nós e com outros organismos sociais, religiosos e políticos,
  • articular forças e iniciativas,
  • optimizar recursos para a prevenção, assistência/proteção, sensibilização e denúncia do tráfico de seres humanos
  • seguir desenvolvendo programas educativos que sensibilizem as pessoas sobre este fenômeno e denunciem o tráfico de pessoas

Sabemos  que só trabalhando em cooperação e solidariedade seremos capazes de enfrentar as causas estruturais que produzem o tráfico.

Esta missão impõe-se como uma exigência místico-profética de nossa vocação cristã que requer uma conversão contínua e uma mudança de mentalidade.

Renovamos  este compromisso de promover a dignidade de cada pessoa, tornando vida a Palavra de Jesus de Nazaré: "

Eu vim para que todos tenham vida e a tenham em abundancia"

(Jo, 10,10).