Inscreva-se na Newsletter

Inscreva-se na nossa Newsletter e receba actualizações e notícias da CJP-CIRP no seu e-mail.




Contador de visitas

mod_vvisit_counterHoje526
mod_vvisit_counterOntem609
mod_vvisit_counterEsta semana2754
mod_vvisit_counterÚltima semana3029
mod_vvisit_counterEste mês8084
mod_vvisit_counterÚltimo mês10312
mod_vvisit_counterTotal438107

Visitantes Online: 8

Login

Contra a violência armada Versão para impressão
Terça, 19 Junho 2012 14:55
armasno

 

Semana de Ação Global Contra a Violência Armada

Estamos a poucos dias do início da Conferência das NU que vai negociar um novo Tratado de Comércio de Armas. Desejamos que seja um tratado global e que contribua para o controle desse comércio com vista a prevenir danos profundos relativamente aos direitos humanos, à lei humanitária internacional e ainda a tudo o que vá prejudicar os esforços na redução da pobreza ou do desenvolvimento socioeconómico.

Toby Leon Moorsom, professor na Queen's University no Canadá escreve na página de Aljazeera:

WARLORDSDurante o último ano a África presenciou a decomposição de estados de uma costa a outra. Uma cintura de guerra, golpes e demonstrações espontâneas em larga escala emergiram através do Sahel, da Guiné- Bissau até à Somália.
A situação representa uma significativa ameaça à segurança global, o que para alguns justificará a crescente militarização do continente.
Estes processes têm uma variedade de causas localizadas, mas ao mesmo tempo têm algumas coisas em comum. Todas elas nascem num contexto de fracasso dos mercados agrícolas e de um aumento da extração de minerais e do petróleo.
O fundamentalismo islâmico não passa de um mero fator de complicação: não é uma causa, quando muito será uma resposta à desestabilização que estamos vendo.

Entrando nesta onda de tomada de consciência e de ação em favor de um mundo mais pacificado, mais desenvolvido e mais feliz, sugerimos duas coisas na linha de uma proposta feita pela Pax Christi:

- Envie uma carta aos membros do governo e responsáveis políticos - Pode utilizar como modelo a carta que a Pax Christi Portugal e o Observatório Permanente sobre a Produção, Comércio e Proliferação das Armas Ligeiras da Conferência Episcopal Portuguesa, enviaram ao Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros português;

- Una-se a nós em oração organizando celebrações/serviços religiosos. Pode usar as sugestões pastorais e litúrgicas que encontra aqui.