Inscreva-se na Newsletter

Inscreva-se na nossa Newsletter e receba actualizações e notícias da CJP-CIRP no seu e-mail.




Contador de visitas

mod_vvisit_counterHoje525
mod_vvisit_counterOntem609
mod_vvisit_counterEsta semana2753
mod_vvisit_counterÚltima semana3029
mod_vvisit_counterEste mês8083
mod_vvisit_counterÚltimo mês10312
mod_vvisit_counterTotal438106

Visitantes Online: 8

Login

Doença sem remédio Versão para impressão
Quinta, 08 Dezembro 2011 23:12

preo-livro

Preço a pagar pela conversão a Cristo

Realizou-se no passado dia 6, na livraria FNAC Colombo, uma sessão de apresentação do livro "Preço a Pagar", numa iniciativa da Fundação AIS e da Paulinas Editora. Trata-se do relato que o autor Joseph Fadelle, um iraquiano convertido ao cristianismo, faz das perseguições a que tem estado sujeito desde que decidiu seguir esta via. Um livro para conhecer e meditar na força da fé e na brutalidade nascida do fundamentalismo religioso.

Durante o serviço militar, Mohammed, um jovem muçulmano iraquiano, membro de uma importante família Shiita, descobre com surpresa que o seu colega de quarto é Cristão. Por isso, entre ambos surge uma amizade paradoxal, da qual Mohammed sairá transformado.

De regresso à vida civil, mantém um único desejo: converter-se ao Cristianismo. Uma autêntica loucura, impensável entre familiares e amigos. Num Islão, a mudança de religião é crime. A sua família fez tudo para demovê-lo, sem sucesso. As ameaças e golpes sucedem à prisão e à tortura. Mohammed, convertido em Joseph depois de baptizado, vive um longo calvário mas não cede um milímetro. Contra ele é ditada uma fatwa e os seus irmãos chegam a alvejá-lo na rua. Gravemente ferido, Mohammed, caiu por terra...

Depois de ultrapassar todas as vicissitudes relatadas neste livro, Joseph Fadelle, chega a França com a sua família.

j.FadelleA tua doença é Cristo e não há remédio para ela. Nunca poderás curar-te...
O meu tio Karim tira um revólver e aponta-mo ao peito: Nem consigo respirar. Atrás dele, quatro dos meus irmãos desafiam-me com o olhar. Estamos sós neste vale desértico.
Ainda agora não acredito no que aconteceu. Não! Não quero acreditar que os membros da minha própria família - e este meu tio a quem, no passado, ajudei - possam ter realmente a intenção de matar-me. Como puderam chegar a odiar-me tanto, a mim que sou do seu sangue, a mim que em menino brinquei com eles e mamei do mesmo leite?
Como também não compreendo que seja justamente Karim, o meu querido tio, que agora me ameaça. Ele, a quem muitas vezes livrei de apuros perante a intransigência do meu pai, o chefe do clã familiar... Porquê? Porque é que a minha família não pode simplesmente aceitar a minha nova vida? Por que razão querem a todo o custo que volte a ser um deles?
Pouco a pouco, começo a compreendê-lo com pavor: estão dispostos a tudo para recuperar-me, a mim que sou o herdeiro da tribo Mussaui, o preferido.

(...) Entretanto, o meu tio Karim tornou-se furibundo e os seus traços faciais endureceram-se.
- Fizeram-te uma lavagem ao cérebro - constata friamente. Sinto muito bem que também ele chegou ao limite e já não quer discutir. Este mal só se cura com um remédio radical, com a lei islâmica, a sharia.
- Conheces a nossa lei, sabes que há uma fatwa contra ti. Esta fatwa ordena que sejas morto, se não voltares a ser um bom muçulmano, como nós, como antes!

Excerto do livro O Preço a Pagar - (Newsletter FAIS)