Inscreva-se na Newsletter

Inscreva-se na nossa Newsletter e receba actualizações e notícias da CJP-CIRP no seu e-mail.




Contador de visitas

mod_vvisit_counterHoje245
mod_vvisit_counterOntem480
mod_vvisit_counterEsta semana1180
mod_vvisit_counterÚltima semana2682
mod_vvisit_counterEste mês4921
mod_vvisit_counterÚltimo mês8125
mod_vvisit_counterTotal462940

Visitantes Online: 6

Login

Vem aí o tempo dos presentes Versão para impressão
Quarta, 10 Novembro 2010 23:46

«Presentes Solidários» para o Natal 2010

logo_PresentesSolidariosApesar da crise, a prática dos presentes não vai ser encerrada. Tendo-se alimentado o consumismo até ao absurdo, é tempo de fazer contas à vida, sabendo que, com vontade ou sem ela, temos que dar uma volta aos nossos comportamentos de consumo. Talvez a crise nos possa ajudar a compreender que, ainda que carenciados de muitas coisas, só na partilha é que encontramos a alegria. A campanha "Presentes Solidários" poderá ajudar-nos.

 

Oito presentes diferentes, mas a mesma intenção solidária - desafiar todos os portugueses a contribuírem para a melhoria de vida das famílias desfavorecidas, em cada um dos oito países lusófonos.

A iniciativa "Presentes Solidários", apresentada esta Terça-feira, dia 2 de Novembro, em Lisboa, foi a maneira que a Fundação Evangelização e Culturas (FEC) encontrou para, nos últimos anos, apelar ao coração de Portugal, para que olhe para as dificuldades económicas e sociais que atravessa cada país irmão e colabore para a minimização dos problemas.

Mais educação para Angola, Brasil e Guiné-Bissau, o desenvolvimento agrícola em Cabo Verde e Timor-Leste, o apoio à terceira idade em São Tomé e Príncipe e para recém-nascidos em Moçambique, são os alvos essenciais da campanha 2010, que decorre até dia 6 de Janeiro de 2011.

Ao comprar um presente solidário, o dinheiro será entregue aos diversos parceiros da FEC no terreno: Irmãs Doroteias (Angola), Cáritas Cabo Verde, Comissão Interdiocesana de Educação e Ensino da Guiné-Bissau, Missionários da Consolata (Moçambique e Brasil), Ordem dos Frades Menores Capuchinhos (Timor-Leste), Associação Mãos Unidas (São Tomé e Príncipe).

Estas instituições são o coração e os olhos desta operação, pois conseguem identificar e avaliar, no terreno, todo o tipo de carências e encaminhar a ajuda necessária, de uma forma mais rápida e eficaz.

A FEC reserva ainda um dos "presentes" para a formação dos voluntários portugueses que, todos os anos, partem em missão para países em desenvolvimento. "Só este ano", revela a instituição, "foram mais de 300 aqueles que abraçaram o desafio".

Ao mesmo tempo que dão a sua contribuição, pessoal ou em nome institucional, todas as pessoas que se associarem a esta iniciativa vão receber um postal, relativo ao presente que escolheu apadrinhar.

Essa lembrança "poderá ser oferecida a amigos, colegas ou familiares como um presente de Natal", sugere a FEC, no site oficial desta iniciativa.

Desde que a campanha "Presentes Solidários" começou, em 2007, já foi possível angariar mais de 12 mil contribuições.

Para além das carências atrás referidas, têm servido para atender as necessidades dos países lusófonos em áreas como o desenvolvimento sanitário e acesso a água potável, o acesso a condições dignas de habitação, a criação de emprego e o apoio à natalidade.