Inscreva-se na Newsletter

Inscreva-se na nossa Newsletter e receba actualizações e notícias da CJP-CIRP no seu e-mail.




Contador de visitas

mod_vvisit_counterHoje526
mod_vvisit_counterOntem609
mod_vvisit_counterEsta semana2754
mod_vvisit_counterÚltima semana3029
mod_vvisit_counterEste mês8084
mod_vvisit_counterÚltimo mês10312
mod_vvisit_counterTotal438107

Visitantes Online: 8

Login

Acordo na Cimeira ? Versão para impressão
Terça, 19 Junho 2012 23:42

rio20Rio+20 ou Rio-20 ?

Em véspera da reunião dos lideres mundiais, os negociadores chegaram a um acordo sobre a declaração final que lhes será submetida quando se encontrarem reunidos a partir de quarta-feira no Rio de Janeiro na Cúpula da ONU Sobre Desenvolvimento Sustentável (a Rio+20), disse nesta terça o chefe de comunicação do evento, Nikhil Chandavarkar.

As delegações concordaram com o texto apresentado pelo Brasil sem mudanças, afirmou o porta-voz. Países que se opunham a trechos do texto, apesar de terem aprovado a redação, manifestaram descontentamento. Várias ONGs ambientalistas consideraram o acordo um fracasso. Os ministros das Relações Exteriores, Antonio Patriota, e do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, vão fazer um anúncio sobre o acordo às 14h.

No "Jornal do Brasil", Leonardo Boff mostra a impossibilidade de um acordo sobre a sustentabilidade da economia vigente:
Três serão os grandes figurantes da Rio+20: os representantes oficiais dos Estados e governo, os empresários e a Cúpúla dos Povos. Cada grupo é portador de um projeto e de uma visão de futuro.
Os representantes oficiais, a considerar o Borrador Zero, repropõem o desgastado desenvolvimento sustentável agora pintado de verde. Esquecem, entretanto, de confessar que ele fracassou rotundamente. Diz Gorbachov: "O atual modelo de crescimento econômico é insustentável; ele engendra crises, injustiça social e o perigo de catástrofe ambiental"(O Globo 8/6/2012). Os principais itens que sustentam a vida estão em degradação denunciou ainda em 2005 a Avaliação Sistêmica do Milênio o que foi repetido pelo recente relatório do Pnuma. O Borrador Zero da Rio+20 reconhece: "O desenvolvimento sustentável continua a ser um objetivo distante" (n.13). Mas parece não terem aprendido nada dos fatos. Em sua fé dogmática no desenvolvimento sustentável, que, no fundo, é crescimento material, continuam propondo mais do mesmo.
De forma contundente diz ainda Gorbachov: "Vinte anos depois da Rio-92 estamos rodeados de cinismo e, para muitos, de desespero". Não teriam os agentes do atual sistema mundial sofrido uma espécie de lobotomia? Não sentem a urgência da ameaça ambiental. Preferem salvar o sistema financeiro e os bancos a garantir a vida e proteger a Terra. Esta  já está com os faróis no vermelho e no cheque especial.

cupulaPor sua vez o movimento Greenpeace classificou como "patético" o documento final e afirmou que o rascunho do documento pode levar a Conferência sobre Desenvolvimento Sustentável ser chamada de "Rio menos 20". O diretor-executivo do Greenpeace Internacional, Kimi Naiddo, ressaltou que é preciso pensar "fora da caixa" para resolver os problemas do mundo, e rever o problema económico baseado apenas em "mais mercados, mais produtos e mais dinheiro". "Temos que fazer mais com menos", concluiu Naiddo. Está prevista uma grande marcha de ONGs nas ruas do Rio em defesa de maiores compromissos dos países na defesa do meio ambiente.